segunda-feira, dezembro 05, 2005

O CRUCIFIXO É UM CRISTO
O governo, na questão dos crucifixos, para ser realmente consequente, deveria, em nome do laicismo oficial, impedir os alunos de se benzerem antes dos testes. Dessa forma o giverno acabaria com a ideia ridícula de que crendices religiosas podem ajudar a ter boas notas, quando toda a gente sabe que os resultados escolares dependem da importância de apresentar boas estatísticas na OCDE. Os professores receberiam também indicações claras para não usarem expressões como “Oh valha-me Deus!” ou “Ai minha Nossa Senhora!” dentro das instalações escolares. Deveria ser pedido particular cuidado aos docentes para não proferirem interjeições com elementos cristãos quando se cruzem nos corredores com ateus ou membros de outras comunidades religiosas (mesmo que estes ameacem o professor com uma navalha ponta-e-mola) para não afectar a sua especificidade cultural.
STATLER

8 comments:

Blogger piscoiso said...

Já agora, ponham imagens de Cavaco nas Igrejas.

10:29 da manhã  
Anonymous bicho said...

Igrejas?!? Mas ainda há igrejas num estado laico como o nosso?... Pelo amor de Deus, pá!

12:36 da tarde  
Anonymous fidel said...

mas,mas....
Um destes dias ouvi o camarada xoares a usar a expressão "se deus quiser". Será correcto que um candidato a presidente de uma república laica usar expressões com teor religioso?

2:08 da tarde  
Blogger Louletano said...

Grande a hipocrisia sobre a questão dos crucifixos. O debate foi logo desvirtuado, como é costume na Tugalandia.
Até ao advento da Republica, havia uma só religião oficial: a catolica!
E as outras confissões não tinham o direito de terem templos virados para a praça publica.
Com estes abusos ninguém se interessou.
A questão da "tradição" dos crucifixos nas salas de aula é uma grande treta. A "tradição" data somente de 1936 e foi instituida pelo Salazar para fazer um frete à Igreja Catolica.

Só num país tão atrasado e mesquinho como Portugal é que a exigencia da aplicação da Constituição é que levanta barreiras. Conheço um país onde a transição se fez calmamnete e até com o apoio da hierarquia da Igreja.
Somos, de facto, um país de pacovios.

3:44 da tarde  
Blogger Galo Rouco said...

Caro Statler, para o Governo ser coerente nestes e noutros vómitos jacobinos, deveria acabar com todos os feriados religiosos que Portugal tem, ou seja metade dos que gozamos. Se somos um Pais tão laico e sem memória e identidade acabe-se com o Natal!

5:12 da tarde  
Blogger Animal said...

boa! ondé cassino essa petição?

5:31 da tarde  
Anonymous Hawkman said...

E porque "os protestos dos sindicatos são uteis para a democracia", usam-se os protestos dos entes portuenses na semana passada, e substitui-se o "Oh valha-me Deus!" por "C'um caralho!!"

7:39 da tarde  
Blogger 7ubal said...

Acho que deviam pôr nas escolas um retrato do Mantorras ou do rei de Espanha.

9:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home