quinta-feira, fevereiro 09, 2006

VOLTANDO À VACA FRIA

(foto duma festividade xiita. isto é malta que se sabe divertir...)
Imagens destas fazem aumentar exponencialmente a minha fé na humanidade e convencem-me que será graças à religião que se atingirá a paz. A dos cemitérios, pelo menos.
De repente, senti-me terrivelmente licencioso por ver cenas destas, pá...
ANIMAL

30 comments:

Blogger Animal said...

um gajo fica spixeléçe e mesmo sem palavras, num é?

10:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o saddam proibia isso. Era um homem terrível.

10:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É verdade...não há palavras para descrever rituais e festividades como estas! Incompreensível...pobres crianças inocentes!!
Mas há k respeitar os costumes de cada um...quanto a isso não há nada a fazer...infelizmente =(

10:35 da tarde  
Anonymous JR said...

Também acho que é preciso respeitar os costumes de cada um. E também acho que não há que nos sentirmos chocados com a lapidação de mulhares consideradas adúlteras. Nem com a excisão do clitoris. Nem com a obrigatoriedade de esconder o rosto. Nem com a ausência de direitos das mulheres. Nem com os impetos bombistas. Etc. Etc.
Então, pá, há que respeitar os costumes dos outros...
Significará isso também que, se os outros não respeitarem os meus costumes eu tenho que respeitar os deles?
Ou se os outros ofenderem os meus costumes, devo eu ofender os deles?
Oh anonymous, não me queres esclarecer?

11:18 da tarde  
Blogger aurora said...

Jr, subscrevo e aplaudo.
Já agora respeite-se os "costumes" dos campos de extermínio, ou do Santo Ofício...

11:44 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Boas Jr!
Claro que devemos respeitar os costumes dos outros...sempre! Devemos aceitar as tradiçôes/rituais de cada cultura, compreendendo que existem culturas diferentes e considerar que por vezes isso é bom, pois o que é bom para nós pode-o não ser aos olhos de outros bom, e vice-versa. MAs o que cada cultura faz é la com ela!!
Talvez o problemas seja mesmo esse: muita gente não aceita e critíca os costumes das outras culturas!
Quando isso acontece pode-se e deve-se contestar, sendo contudo tolerantes. O problema é quando se contesta e não se é tolerante! Ou seja, quando o não respeito pelas tradições envolve matar pessoas inocentes, deitar abaixo duas torres em nova Iorque, ataques bombistas no metro em Londres, explosão de 1 comboio em Madrid, queimar embaixadas e por em risco todo o mundo ocidental! Aí o respeito pelas outras culturas tem limites! E a nossa tolerância também, porque não é só uma guerra entre países, é uma guerra com o mundo!! E aí todos nós estamos incluidos e sob ameaça, percebes?
Neste caso, repito, a tolerância e o respeito tem limeites!
Acho que esclareci a tua dúvida!

11:59 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Esqueci-me só de dizer-lhe isto: a tolerância e respeito por culturas diferentes não implicam que eu tenha de adoptar os seus hábitos ou comportamentos, sobretudo, quando são antagónicos aos meus princípios. eu aceito as outras tradições não querendo isto dizer que concorde elas e que as tenha de aceitar. Coisa que os países islamicois tentam fazer, mas que nós temos liberdade de aceitar ou não.

12:19 da tarde  
Anonymous JR_Fox@sapo.pt said...

“MAs o que cada cultura faz é la com ela!!”
Não meu caro. O que cada cultura faz, não é lá com ela. É também comigo, tal como aquilo que tu fazes, apesar de não te conhecer e de provavelmente nunca nos virmos a encontrar, também tem a ver comigo.
Não há o teu mundo, o meu mundo, o mundo árabe, o mundo cristão, etc. Há apenas um mundo, que é partilhado por todos. Ou aprendemos isso e a partilhá-lo, ou então adeus mundo...
Porque, ao contrário do que nos querem impingir os tolerantes de treta, a minha liberdade não acaba onde começa a tua, nem a tua onde começa a minha. Isso é dizer que somos um entrave à liberdade de cada um.
A liberdade não é um direito que exista por si mesmo, mas é apenas a capacidade que os humanos têm de optar. E é por terem essa capacidade que são livres, intrinsecamente livres e qualquer impedimento à concretização dessa capacidade é um atentado à liberdade e à dignidade humanas.
Não vivemos em compartimentos estanques. A simples constatação deste caso é suficiente para negar a tua tese de que o que eles fazem ser apenas com eles. Se assim fosse, todos se calariam. E já agora, o que os dinamarqueses fazem, também seria apenas com eles.

Os comentários não têm espaço suficiente para esta discussão, por isso quem quiser, use o endereço de mail.

2:25 da tarde  
Anonymous JR said...

E já agora, sempre me chatearam esses tolerantes que se acham superiores só porque são tolerantes. É que os limites da sua tolerância são um bocado fraquinhos. Acabam logo que os comecem a contrariar...

2:31 da tarde  
Anonymous carneiro said...

JR, bem falado. (por acaso, você não é de Dallas ?)

2:50 da tarde  
Anonymous JR said...

Por acaso não sou de Dallas. Mas porquê? Conhece a Sue Ellen?

2:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sim, de facto existe apenas 1 mundo! Mas dentro deste mundo existem diferentes continentes, diferentes países e nações, com niveis diferentes de desenvolvimento! Se há tantas diferenças assim, é natural que hajam diferentes culturas e é isso que temos de aceitar!
Temos d aceitar as diferentes culturas! Mas devemos contestá-las quando estas passam os limites de qualquer tolerancia e aceitabilidade,percebes?
Se a liberdade para fazer cartoons existe na nossa cultura, as outras, onde tal nao existe, só têm de aceitar isso, porque é a nossa cultura (que nos permite e é diferente)! Da mesma forma que nós nao nos opomos à cultura deles, nem tentamos impor a nossa, tal como não andamos para ai a matar pessoas como se de bonecos tratassem!

3:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

isto é para ti jr!!
Se aquilo que tu fazes me diz respeito também a mim, daqui a nada eu estava meter-me na tua vida como minha se tratasse! E já agora, se ha apenas 1 mundo que devia ser igual pa tds, porque ha tantos presidentes! Se há apenas um mundo devia apenas haver um "ditador", uma cultura, uma religiao...É isso???
E achas bem que uma pessoa que não conheçes de lado nenhum mate a tua mulher ou filhos so poque aquilo que les fazem vai contra a sua cultura? nao me parece Jr....
comprimentos

3:16 da tarde  
Anonymous DD said...

"Não meu caro. O que cada cultura faz, não é lá com ela. É também comigo"`
Ó Jr, o que é que eu tenho a ver com as tradições e culturas deles?
Se eles se querem matar que matem, desde que não me venham bater à porta e xatear o juízo!

3:29 da tarde  
Anonymous JR said...

“Se aquilo que tu fazes me diz respeito também a mim, daqui a nada eu estava meter-me na tua vida como minha se tratasse!”
Mas tu estás a meter-te na minha vida... Quando expuseste aquilo que escreveste, meteste-te na vida de todos o que te leram (para não falar de outros). Meteste-te na minha vida, porque me obrigaste a optar entre o silêncio e a resposta. Obrigaste todos os que te leram a idêntica opção. Isso é interferir com a vida dos outros. Não está agora em questão se é positivo ou não, mas apenas a constatação dessa interferência.
Eu, ao responder-te, estou a fazer o mesmo, não só em relação a ti, mas em relação a todos o que lerem estas palavras.

“apenas 1 mundo que devia ser igual pa tds”
Tu é que dizes que devia ser igual para todos. Eu apenas disse o mesmo para todos. A igualdade é outra questão, não tão simples quanto isso.

“Se há apenas um mundo devia apenas haver um "ditador", uma cultura, uma religiao”
Vivemos num país pequeno. Há apenas um ditador? Há uma cultura apenas? Há apenas uma religião?

“conheçes de lado nenhum mate a tua mulher ou filhos so poque aquilo que les fazem vai contra a sua cultura”
Não achas que estás a misturar tudo? A ler o que queres ler e não o que lá está escrito? E afinal temos que respeitar a cultura e os costumes dos outros ou não?
Ah... Já sei. Há limites... E quem estabelece, ou como se estabelecem esses limites?

E só por curiosidade, achas que há muita diferença entre estes exaltados islâmicos e os tipos que atacaram o carro do treinador do Porto, ou os adeptos do Benfica ou Sporting ou Porto (um desses) que esfaquearam um adepto doutro club? Ou os que destroem os bares das estações de serviço na auto estrada?

3:40 da tarde  
Anonymous JR said...

Oh DD, então se isso é só com eles, porque é que precisas de estar aqui a falar sobre eles?

3:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Meteste-te na minha vida, porque me obrigaste a optar entre o silêncio e a resposta.Obrigaste todos os que te leram a idêntica opção. Isso é interferir com a vida dos outros.".
Desculpa??Meti-me na vida de todos ao escrever para aqui??
Então peço desde já as minhas desculpas por esse facto e se se sentiram ofendidos!
O que é para ti meter-se na vida de alguem? É escrever umas palavritas num blog que toda a gente pode ler?? É isso?
Então muita gente se mete na tua vida! Está a ouvir uma conversa entre 2 senhoras por acaso, no autocarro de manha quando vais para o trabalho e elas já estao a meter-se na tua vida!
Devo dizer-te que as tuas filosofias acerca de "meter-se na vida de alguém" são muito alargadas!
Quem estabelece esses limites? há coisas que o homem quando nasce aprende logo, uma delas é não matar pessoas, principalmente se estas são inocentes! Faz parte das leis da ética e da moral! Tu quando adquires consciencia de ti mesmo sabes que não se deve matar ninguem, ou não sabes? Se não sabes devias saber porque aprende-se isso em todo o lado (casa, rua, política, religião...) Só uma pessoa num estado de loucura faz isso!
E tu dizes "Pois e como não sabes que os que matam são loucos?" Se são deve haver muita loucura no mundo e eu não sei!!
Quanto à tua questão respondo-te que não! Não ha muita diferença entre os fundamentalistas islamicos e esses que esfaqueiam por fanatismo ao clube futebilistico e etc...
Mas quem disse que isso era correcto? quem disse que defendiam esse tipo de fanatiismos e atitudes?
Não disse que só os "exaltados islâmicos" agem mal! tambem no nosso país se encontram coisas passiveis de serem contestadas!
mas esqueceste que há "pequena" diferença: o fundamentalismo desses "exaltados islâmicos" poe em em risco o mundo!! E esfaquear um adepto de outro club ou destruir estações de serviço nas auto-estradas de Portugal está a por em risco o mundo da mesma forma?

4:47 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Ah, e não me respondeste há pergunta "E achas bem que uma pessoa que não conheçes de lado nenhum mate a tua mulher ou filhos so poque aquilo que les fazem vai contra a sua cultura?"
mas não é preciso...acho que o teu silencio diz tudo não é?

4:52 da tarde  
Blogger Freddy said...

É a Cidade de Deus!!! Qual deles?

5:30 da tarde  
Blogger esgoto said...

...sôda-se, disse Fócrates.

6:51 da tarde  
Blogger Ana Pinheiro said...

A meio dos posts desisti de ler...desculpem...Quanto à imagem, sinceramente, apesar de haver diferentes culturas, não consigo compreender como é possívcel no século XXI ainda se practicarem rituais como este...
Beijo terno e eterno.

7:40 da tarde  
Anonymous jr_fox@sapo.pt said...

“Então peço desde já as minhas desculpas por esse facto e se se sentiram ofendidos!
O que é para ti meter-se na vida de alguem? É escrever umas palavritas num blog que toda a gente pode ler?? É isso?”

Sim. É isso. Existes. E porque existes, porque eu existo, porque os outros existem, porque coabitamos este planeta, inevitavelmente, tudo aquilo que fizermos ou não fizermos, tem a ver com tudo e com todos, numa escala maior ou menor.
Porque os outros existem, eu tenho que decidir como comportar-me para com eles, para com o mundo.
Poderás esconder-te atrás dessa treta de que os outros não têm nada a ver com os teus actos, desde que não sejam afectados com aquilo que fazes. Poderás dizer-me algum acto em que não interfiras com ninguém? Um só?

“Está a ouvir uma conversa entre 2 senhoras por acaso, no autocarro de manha quando vais para o trabalho e elas já estao a meter-se na tua vida!”

Estão. Aquilo que dizem, alegra-me, entristece-me, aborrece-me, irrita-me, ou outra coisa qualquer. Eu sou afectado por aquilo que elas dizem. Positiva ou negativamente. Tu não és?

”Quem estabelece esses limites? há coisas que o homem quando nasce aprende logo, uma delas é não matar pessoas, principalmente se estas são inocentes! Faz parte das leis da ética e da moral! Tu quando adquires consciencia de ti mesmo sabes que não se deve matar ninguem, ou não sabes? Se não sabes devias saber porque aprende-se isso em todo o lado (casa, rua, política, religião...)”

Tens que te decidir. Ou sabe quando nasce ou quando adquire consciência. Com que idade é que o ser humano começa a adquirir consciência de si? Onde é que estão escritas a regras da ética e da moral? E porque é que não se deve matar ninguém? Ora se eu não sei e devia saber, é porque não se aprende à nascença. Ou pelo menos, nem todos aprendem à nascença. Já agora, o que é essa coisa da ética e da moral? Sabes mesmo? Sabes mesmo porque é que não se deve matar?

“E tu dizes "Pois e como não sabes que os que matam são loucos?"
Eu não digo nada disso. Tu é que dizes. Acho até que se pode matar muita gente sem se estar louco. É só veres as estatísticas nas nossas estradas. Ou as formas legais de matar, como declarar guerra a outro estado.

“Quanto à tua questão respondo-te que não! Não ha muita diferença entre os fundamentalistas islamicos e esses que esfaqueiam por fanatismo ao clube futebilistico e etc...”
Oh pá, mas já viste que esses estão aqui, mesmo junto de nós, se calhar na porta ao lado? Devemos respeitar as suas convicções, as suas crenças?

“Mas esqueceste que há "pequena" diferença: o fundamentalismo desses "exaltados islâmicos" poe em em risco o mundo!! E esfaquear um adepto de outro club ou destruir estações de serviço nas auto-estradas de Portugal está a por em risco o mundo da mesma forma? “
Estás enganado. É a ausência de fé, de fé no islão que põe o mundo em perigo. Tu e todos os que como tu são cegos a essa verdade. Todos os que são infiéis a essa luz. Se assim não fosse, não haveria sequer protestos.

7:46 da tarde  
Anonymous jr_fox@sapo.pt said...

“Ah, e não me respondeste há pergunta "E achas bem que uma pessoa que não conheçes de lado nenhum mate a tua mulher ou filhos so poque aquilo que les fazem vai contra a sua cultura?"
Não, pá. É sempre preferível que seja um conhecido a matar-nos. Acho que a morte é um momento demasiado intimo para ser partilhado com desconhecidos.

7:46 da tarde  
Anonymous jr_fox@sapo.pt said...

A caixa de comentários é para comentários, não para discursos. Para isso deixei um endereço de mail.
Desculpem ter abusado.

7:52 da tarde  
Blogger Animal said...

tás desculpado pá. sou um gajo tolerante...

9:15 da tarde  
Anonymous eleutéria said...

Esta discussão só podia acabar com o jr_fox e o anonymous a verem o dogville numa sala hyperconfortável de 1º mundo!

4:50 da tarde  
Blogger The smokerman said...

A meio, perdi a paciência de ler a discussão nos comments. Mas tudo isto me faz lembrar a história deliciosa publicada na Jueves com a personagem Makinavaja. Ia Maki e seu leal amigo Popeye pela rua, quando um bando de jovens neo-nazis cercam um velho e o obrigam a fazer a saudação nazi, gritar vivas a Hitler e essas coisas do costume. Popeye comenta indignado a cena com Maki e este responde calmamente que isto são expressões da juventude, que as devemos compreender, etc-e-tal. Nessa altura um dos neo-nazis topa os gajos e os manda também fazer a saudação nazi. Maki pergunta a Popeye: "Trouxeste a fusca?". "Não", respondeu o outro. "Não faz mal, uso a minha" e saca da automática e vara os neo-nazis todos. "Então pá? Dizias que deviamos compreender os gajos e agora limpas-lhe o sebo?". "Olha Popeye, o facto de compreender os gajos não quer dizer que tenha de os aturar"... cappice?

6:08 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Boas Jr mais uma vez!
"Poderás dizer-me algum acto em que não interfiras com ninguém? Um só?"
Claro que há actos que não interferem com niguem. Queres um exemplo? Então diz-me se um australiano que vive no outro lado do mundo e que eu nunca vi mais gordo nem mais magro interfere na minha vida ao fazer os seus habitos higiénicos matinais? ele está agir e no entanto não me esta a influenciar em nada, nem tão pouco o conheço!

"Aquilo que dizem, alegra-me, entristece-me, aborrece-me, irrita-me, ou outra coisa qualquer. Eu sou afectado por aquilo que elas dizem". Meu caro,uma coisa é elas te afectarem, outra muito diferente é metere-se na tua vida! Afinal tu é que tens de te decidir!

"Já agora, o que é essa coisa da ética e da moral? Sabes mesmo? Sabes mesmo porque é que não se deve matar?" Deixa que te diga que se não és filósofo tens muito jeito para tal! Se vais entrar pelas quesões do tipo "porquês", nunca mais daqui saimos. Tu não ages conforme as leis da etica e da moral?? Por vezes (nem sempre)quando ages estás condicionado devido à existência do "outro". Ou não estás? Ora, não foste tu que disseste que eu existo porque os outros exstem? Decide-te mais uma vez...Se não houvesse leis da ética e da moral tu agias segundo a tua "real gana" e não te preocupavas que afinal existem outras pessoas que podem vir a ser afectadas com as tuas acções! Ou não? Afinal a ética e a moral elas existem para alguma coisa!
E respondendo à tua questão, uma pessoa não tem consciência de si assim num ápice! A consciência de nós mesmos vai-se adquirindo aos poucos, à medida que aprendemos a falar, a pensar, etc, e a idade dessa tomada de consciência varia de pessoa para pessoa!

"É a ausência de fé, de fé no islão que põe o mundo em perigo. Tu e todos os que como tu são cegos a essa verdade. Todos os que são infiéis a essa luz."
Quanto a isto só tenho uma coisa a dizer-te: inda bem que tu não es cego quanto a isso e uqe consegues "ver"! Achas que eu deva ter fé numa religião que vai contra os meus principios, numa religião que é tão antagónica áquilo que eu defendo?
Eu respeito a religião islâmica mas não quer dizer que tenha de ter fé e de adoptar!
Acho que isso já tinha ficado esclarecido!!

11:56 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Desculpem! De facto isto é espaço pa comentários e não para discursos! Obrigado animal por ser tolerante mas como eu disse a tolerância por vezes tem limites! Desculpe o abuso e a invasão ao seu espaço de comentários!

12:41 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

O único problema destas festas é o consumo mínimo, que chega às 10 chibatadas em alguns locais... e dizem que o País está em crise!


Rata


www.ratamaluka.blogspot.com

6:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home