terça-feira, maio 30, 2006

NEM O SENHOR ALPHONSE
também conhecido como Marquês de Sade, escreveria melhor prosa: «Bendita seja a dor. Amada seja a dor. Santificada seja a dor... Glorificada seja a dor!» (208) «Se sabes que essas dores - físicas ou morais - são purificação e merecimento, bendi-las.» (219) «Contigo, Jesus, que agradável é a dor e que luminosa a obscuridade!» (229) «Não esqueças que a Dor é a pedra de toque do Amor.» (439)

Ganda maluco este Josemaría...
ANIMAL
sacado daqui e verificado aqui

26 comments:

Blogger omeublogemaiorqueoteu said...

... Afinal de contas a dor não dói!

4:39 da tarde  
Blogger Animal said...

plus vistos até dá tesão...

4:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Espero que este comentário sirva para esclarecer e não para criar mais discórdia...

Compreendo a dificuldade de entender estas palavras, mas deixem-me tentar dar um "toque" nessa confusão generalizada!

1- O caminho (livro onde estão essas citações), é para rezar! Portanto, deve ser entendido o público alvo e o seu contexto de oração.

2- Para quem é Cristão e acredita que o próprio Deus fez-se homem e morreu barbaramente numa cruz, para mais tarde ressuscitar, sabe que o sofrimento não é uma realidade limitaiva!
O sofrimento, que é próprio da existência humana, não nos deve desesperar, porque a Vida em si não é dor, mas sim alegria! Pode acontecer que muitos não a entendam assim, mas esses possivelmente viverão amargurados.

Temos um caso bem recente que retrata esta realidade, o Papa João Paulo II. Alguém é capaz de dizer que o Papa João Paulo II não era feliz? E acham que ele só sofreu no último ano da sua vida? Pois, não se esqueçam que aquele homem deu uma lição de como um Cristão pode/deve viver o sofrimento.

O sofrimento não se esconde. Não é uma vergonha estar doente, não é uma vergonha chorar... embora a sociedade funcione ao contrário e goste de esconder tudo o que não é agradável.

3- Posso dizer-vos que muitas vezes, quando as pessoas mais sofrem é que sentem verdadeiramente a existência de Deus. Normalmente a dor permite-nos ver o essencial (Deus).
Uma vida sem sofrimento não existe e portanto só há duas posturas perante o sofrimento, ou fechamo-nos na pergunta do porquê (e daí não saímos), ou damos um outro passo e perguntamos o "Para quê?". Quando conseguirmos responder a esta última, possivelmente a dor não nos vence e conseguiremos ter uma postura no mundo bem mais feliz.

4- Resumindo, o que São Josemaria está a referir nesses pontos de oração é que não te deves esquecer de entegar os momentos de sofrimento como uma oportunidade de encontrares a Cristo.

NENHUM CRISTÃO DEFENDE O SOFRIMENTO PELO SOFRIMENTO! SIMPLESMENTE DÁ-LHE UM SENTIDO!

Admito que para quem está de fora seja complicado perceber (e eu não sou com certeza o melhor a explicar estas coisas), mas terei imenso gosto em continuar esta conversa!

De resto... ainda bem que há o código Da Vinci para nos por a pensar nestas coisas!

João

6:06 da tarde  
Blogger Animal said...

"...os momentos de sofrimento como uma oportunidade de encontrares a Cristo."

pá, não leves a mal, mas nesses momentos prefiro encontrar uma aspirina. ou mesmo duas.

6:14 da tarde  
Blogger Joaquim Varela said...

Ou até um Nimed!

Mas quem é que este Zé Maria? É o Zé Maria Pincel, ou é um parente próximo?

6:17 da tarde  
Blogger Joaquim Varela said...

Por acaso, há lá no Código Da Vinci, um anormalóide (peço desculpa, mas não encontro outra caracterização para o personagem) que para além de ser devoto do Ti Zé Maria, utilizava a dôr para se purificar, após ter praticado o "mal em nome do bem" (na óptica do Ti Zé Maria, mais uma vez).

É pena é não o fazer de vez. Assim com um tiro nos cornos, por exemplo... Era rápido, encontrava o Cristo num tiro e não chateava mais ninguém.

6:20 da tarde  
Blogger Joaquim Varela said...

Último comentário sobre o Ti Zé Maria.

Tanta gente a morrer de Pneumonia ,no segundo quartel do Século passado, em Espanha, e este energúmeno safou-se.

Deus, de facto, não gosta do ser humano. É , mais, uma evidência...

6:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Se não acreditas... para que é que chateias??? Ou também não és a favor da liberdade religiosa???

Não percebo porque é que há tanto ódio pela Igraja...

João

P.S.: Só para lembrar que o código Da Vinci é um livro de ficção!

6:42 da tarde  
Blogger Animal said...

pois. como a bíblia. ou haverá alguém que acredite nas patranhas que lá aparecem?

7:12 da tarde  
Blogger Animal said...

ódio? nah! se num fossem estas coisas deqécum gajo havia de rir? o SantanaLopes insiste em manter-se recatado e a maralha tem que se rir dalguma coisa....

7:14 da tarde  
Blogger Animal said...

...e o Alberto João não é infinito...

8:25 da tarde  
Anonymous Tom Alah said...

Caro João,

Se, como realças, "NENHUM CRISTÃO DEFENDE O SOFRIMENTO PELO SOFRIMENTO!", então porque é que os seguidores do São Josemaria andam de cilício à cintura?
Ou ainda, porque é que a igreja católica não se opõe à exaltação pública do sofrimento autoinfligido, patente por exemplo no caminhar de joelhos em Fátima?
É que, exceptuada a forma, nenhum destes casos difere daqueles fanáticos islâmicos que, ritual e orgulhosamente, exibem os corpos autoflagelados.

8:55 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Cá para mim o JOÃO está a fazer a lavagem da Santa Madre Igreja.

10:53 da tarde  
Anonymous o-coxo said...

Com lexivia??

12:12 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Tom alah,

Gostei do teu comentário. Pelo menos pareceu-me sério e por isso vou ver se consigo explicar.

Embora não seja a minha forma de estar em Igreja, há quem defenda que as mortificações (exemplo do cilício) ajudam a formar carácter! Sinceramente não comungo desta ideia, no entanto acho que estas manifestações de fé são individuais e fruto de um relacionamento que o crente tem com Deus, por isso eu não me sinto capaz de "opinar" sobre as motivações de cada um.
De qualquer modo, penso que estas situações são fruto de uma cultura do passado que está a mudar e que actualmente são cada vez mais raras.
Em relação a Fátima, também aqui é uma manifestação da fé. Há pessoas que sentem necessidade de mostrar a Deus o quão agradecidas estão por alguma coisa, ou o quanto desejam algo! Mais uma vez, também não me revejo nestas formas de estar, no entanto reforço o carácter UNIVERSAL da Igreja. Mesmo assim há dois comentários que gostava de fazer:
1- Existe em Fátima um grupo de voluntários, chamados Servitas, que entre as muitas funções para garantir o bom funcionamento do Santuário, uma delas é precisamente estar atento a que nenhuma das pessoas que circula de joelhos pelo recinto, esteja a fazer "exibicionismo, ou a exibir orgulhosamente" os seus joelhos feridos, ou outras situações.

2- Também em relação ao cilício, se ainda houver quem o utlize (acredito que seja uma margem residual) fá-lo discretamente. Nunca vi ninguém a exibir tal situação.

Desculpa tornar a bater na mesma tecla, mas para mim é fundamental que se respeite os outros, por isso, todas essas formas de estar têm que ser respeitadas. Repara que eu sou católico, vou à Missa, tento ter uma relação próxima com Deus e não faço nada dessas coisas que há pouco se pintava como altamente suspeitas de fanatismo e comuns a toda a Igreja!
Sabes? A mensagem que Cristo trouxe ao mundo não é só para alguns... mas sim para todos! Não vejas a Igreja como um clube que tem os seus associados e em que todos são iguais! a Igreja do interior do Brasil (onde já estive muitas vezes) é miuto diferente da Igreja no Vaticano... no entanto... todos somos da mesma família porque acreditamos no mesmo!


João

P.S.: Um contributo... a palavra Sacrifício tem a sua origem no Latim "Sacro Fare", que significa tornar sagrado. Ou seja, um sacrificio não tem uma prespectiva negativa, mas sim como algo que como nos pode aproximar dos outros. Quem é que não faz sacrifícios pela namorada, ou por alguém que ama???

12:16 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Os gajos do cilício na linha dos seus antecessores de há uns séculos atrás, agora que já não se usam autos-de- fé,
quando puderem vão ciliciar-nos a todos? Ou só a alguns?
Quintas

1:00 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Ou já estarão a ciliciar-nos com os bancos Ambrosianos, banco do Vaticano, BCPs, Santanders Etc?
Quintas

1:02 da manhã  
Blogger Animal said...

e é a ciliciar-nos pelos tomates...

9:20 da manhã  
Anonymous Careca said...

Que deus vos fo### que será uma santa fo###.

Devemos respeitar as religiões? No caso particular da Vaticana acho que não posso respeitar quem não me respeita. Tocam a porra dos sinos a horas improprias, entopem a circulação com procissões, botam faladura na rádio / TV / jornais / pasquins criticando a forma como vivo, querem impor os seus pontos de vista a todos! Pois não respeito essa gajada.

10:39 da manhã  
Anonymous carneiro said...

Olhe João, o que é demais é moléstia. E o milagre da criação divina não se celebra buscando a dor e o sofrimento.
Aqueles que se autoflagelam, invocando a liberdade religiosa, estão tão sujeitos ao acerto da crítica social quanto os adeptos das touradas. Uma e outra forma de violência física traduzem manifestações de perfídia no prazer e de má formação no carácter.

Quem se quiser automutilar e sangrar que o faça, mas não invoque o nome de Deus para esse fim.

Que quer que lhe diga ? Devo ser condenado por heresia, pois não aceito manifestações de actos sangrentos em nome de Deus. E trazem-me sempre à memória as autoflagelações publicas no Iraque.

Ou esses, por serem muçulmanos, é que são malucos, que os católicos que fazem o mesmo já são santos ?

O meu Deus é que é bom e o deus dos outros é uma treta ?

O que vocês têm é uma vida sexual desgraçada. E depois arranjam estas desculpas...

12:11 da tarde  
Blogger Animal said...

um orgasmo por dia nem sabe o bem que lhe fazia!


hehehehehe!

1:45 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Ai! Ai! Se a Santa Inquisição passar por aqui alguns de vós vão de carrinho para aquelas máquinas de fitness que tão bem sabem usar!

8:19 da tarde  
Anonymous capitolina said...

Pois olhem, eu, se encontrasse esse deus em que alguns acreditam, não resistiria a insultá-lo.Teria de me prestar grandes contas, lá isso teria... Ou não é omnipotente e omnisciente? Deve andar a divertir-se à grande lá pelas alturas.
Contudo, gosto de que as pessoas acreditem num deus qualquer, porque vejo quanto isso pode ser importante para elas.
Hoje mesmo entrei na Igreja U. do reino de deus, donde saíam grandes decibéis quando passei, e encontrei só mulheres, todas claramente de magra escolaridade , que participavam numa tal "corrente da família", empenhadamente. Aguentei quase meia hora para entender aquelas adesões e acho que devem ter saído mais leves.

12:02 da manhã  
Blogger Animal said...

pelo menos os porta-moedas dassa malta costumam ficar mais leves...

9:52 da manhã  
Anonymous Careca said...

Recomendo uma visitinha a www.infidels.org. Tem um motor de busca engraçado. Procurem coisas giras na biblia, como matança, contradiçoes...

Existem três versões diferentes sobre as últimas palavras do JC.

Será que o espirro, perdão, espirito santo se passou dos carretos?

5:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Best regards from NY! »

6:56 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home