sexta-feira, junho 09, 2006

E O CURSO DE BIOMECATRÓNICA?
... os politécnicos ... juntam-se às universidades nas críticas contra o fim do financiamento dos cursos com menos de 20 alunos.
E a arquitectura do design de moda? E a engenharia da publicidade? E aquele mestrado em azeitona de mesa? Hã? Podem ser cursos com poucos alunos, mas o que será deste país sem profissionais nestes ramos do saber?
ANIMAL

7 comments:

Blogger Huckleberry Finn said...

E eu que sempre sonhei em tirar uma licenciatura em Sociologia Feminina Aplicada (á práctica) Ramo Moda.

3:55 da tarde  
Blogger Eric Blair said...

Escolheste uma má altura para concordar pela primeira vez com o governo. Passando já adiante da discussão em torno do porquê do nº 20 (é por ser "redondinho"? Porque não 17 ou 21?).
A questão não pode ser posta nesses termos, mas sim em termos de necessidades do país. Tens cursos de direito a despejar 300 futuros funcionários de caixa de supermercado todos os anos, mas como o curso tem muita saída (perdão, entrada) não se fecha.
Se o país precisar, por exemplo de 15 geólogos por ano, não faz sentido ter uma licenciatura em geologia?

5:42 da tarde  
Blogger Animal said...

ora, importa-se geólogos da ucrânia. em pack até deve sair mais barato.

5:51 da tarde  
Blogger Eric Blair said...

Pá, então importa-se tudo, mesmo os dos cursos com mais de 20 alunos. Sai mais barato de certeza.
Aliás, de vez em quando o país mostra com orgulho alguém que após estudar praí 22 anos em Portugal, e à custa de todos, vai para uma qualquer universidade estrangeira (seja lá isso onde for) para um laboratório, ou tomar conta de um cátedra. E nós, todos orgulhosos, bacocos, sem perceber que quem fez o grande negócio foi o país que o importou, já doutorado e a custo zero. Não haja dúvidas que de futebol percebemos nós.
Olé Trinidad e Tobago Olé.

5:55 da tarde  
Blogger Animal said...

olé allez olé

6:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

bem.. parece que o probrema passa um pouco ao lado, de se saber se cá fazem falta licenciados em qualquer coisa, nem que seja em engenharia financeira, advocacia do diabo ou até com o curso superior de calcetaria marítima.. se tivermos em conta que, para se ser nomeado para cargos públicos, governamentais e afins, basta no currículo conter algumas palavras mágicas tais como: Soares, Guterres, Sócrates, Zuleika, Sheyla, Gennifer, Buceteneide.. etc..

7:15 da tarde  
Blogger mago said...

E para além da questão da necessidade do país, acho mais importante a qualidade do curso do que se tem mais ou menos anos que outros cursos...
Eu sou licenciado em Economia na Fac. de Economia da UNL, e esse curso fez há pouco tempo 25 anos - ufa, não vai acabar uma das melhores licenciaturas em Economia em Portugal. A licenciatura em Gestão, por outro lado, considerada ainda há 2 anos a melhor licenciatura em Gestão do país, não tem mais de 10 anos - acaba-se com a melhor escola de gestores do país?
Ah, e o link da vossa notícia aponta para a do post abaixo.

10:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home