quinta-feira, abril 12, 2007

GOSTAVA DE TER SIDO EU A ESCREVER ISTO
É uma imensa falácia falar das "Privadas" ou das "Públicas", colocando tudo num mesmo saco. Porque há, de facto, de tudo: "Privadas" de excelência (que, através da avaliação externa, vêem reconhecidos os seus cursos como sendo dos melhores do país) e "Privadas" de inqualificável má qualidade (de que a Independente é a simples ponta do iceberg); "Públicas" de referência internacional e "Públicas" sem alunos, sem investigação e com um corpo docente (dominantemente) localista e sem qualidade. E depois, no meio deste cacho de generalidades, há óptimos professores e grandes investigadores como há também carreiristas sem obra, burocratas, idiotas, cunhas e máquinas de fazer favores em troca de exposição pública. Toda a gente (do meio) sabe o que é a universidade portuguesa. Mas ninguém, ou quase nínguém fala. Por uma simples razão: medo. Medo de perder o emprego, medo de dar a ver a cauda de fora das plumas arrumadas, medo da delação inquisitorial, medo do medo. Medo.
ANIMAL

Etiquetas:

5 comments:

Blogger cs said...

ui...na mouche...ahahahah

3:30 da tarde  
Anonymous xelb said...

medo, medo, medo de falar...
ora bolas, e eu a pensar que vivia em liberdade.
Então e depois não querem que o Salazar ganhe, não é?

4:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Xiça, é preciso descaramento. O Vital Moreira escreveu isto: "Ainda bem: não há democracia parlamentar sem um parlamento forte, prestigiado e eficiente na sua função de debate político e de escrutínio do Governo"
O gajo tá mesmo a gozar co'a gente.
Quintas

10:05 da tarde  
Blogger luikki said...

parece muito bem escritinho mas não passa de um atirar a pedra e esconder a manápula....

10:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

muito bem

2:08 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home