terça-feira, setembro 18, 2007

A GRAVATA, ESSA GANDA BADALHOQUICE
«As gravatas raramente são lavadas, mas são usadas diariamente», indicou o Departamente de Saúde numa declaração, salientando que «não representam qualquer benefício para o tratamento dos doentes e provou-se estarem cheias de micróbios patogénicos».
Aqui o Animal, sempre na vanguarda do inglês técnico e mesmo do conhecimento científico, sempre recusou tal acessório, que segundo alguns semiólogos (ou semiotas) representa o fracasso do falo (e acho a imagem correcta, aquilo é mesmo uma pila murcha pendurada no pescoço dum falhado), tendo-a usado na puta da vida apenas duas vezes em provas académicas, sob a ameaça do presidente do juri (sempre o mesmo) que cancelava o acto (e a minha aprovação e consequente aumento de ordenado) se não amarrasse uma badalhoquice daquelas à volta da garganta.
ANIMAL

Etiquetas:

10 comments:

Blogger Eric Blair said...

tal Animal tal Blair

7:23 da manhã  
Anonymous Grunho said...

Vai acontecer à gravata o mesmo que ao tabaco: ser proibida em todo o lado.

12:56 da tarde  
Blogger Eric Blair said...

adenda: essa da "pila murcha pendurada no pescoço dum falhado" é a melhor imagem possível. Tal e qual.

2:46 da tarde  
Blogger Cristina said...

eu acho mesmo que nem duas vezes na vida... :)

4:52 da tarde  
Blogger Animal said...

num amarravas uma pila murcha ao pescoço (ou mesmo duas) se o teu chefe te ameaçasse com o desemprego?

um gajo tem de pagar contas carago...

7:45 da tarde  
Blogger João Dias de Carvalho said...

Eu sabia que tinha razão...

11:07 da tarde  
Blogger Cristina said...

pendurava! com o nome dele escrito!

mas ja te expliquei a razão dessa medida lá no CêCê ;)

11:31 da tarde  
Blogger Afectos said...

Pior que isso só um punhalada nas costas.

9:44 da manhã  
Blogger Barão da Tróia II said...

Não uso. boa semana

10:29 da manhã  
Blogger 125_azul said...

Eu cá adoro estas declarações tão absolutamente freudianas e concordo: ná, nada de pilas murchas penduradas ao pescoço. Ou onde for, a bem dizer...

1:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home